De acordo com o recenseamento geral da população realizado no ano de 2001,a freguesia de Arcozelo das Maias acolhia então 1617 residentes e 1449 eleitores recenseados.

Uma análise, em dados percentuais, à composição da população permite verificar que há um predomínio evidente dos habitantes com idades entre os 25 e os 64 anos, com 47,93%. A estes seguem-se as pessoas com mais de 65 anos, com uma proporção de 20,66%, e logo depois as crianças menores de 15 anos, com 16,20%. Por fim, encontram-se os jovens com idades compreendidas entre os 15 e os 24 anos, cuja representação alcança os 15,21%.



Desenvolvimento económico

A freguesia de Arcozelo das Maias, desde sempre, baseou a sua economia na exploração agrícola, favorecida pela existência de recursos hídricos que fertilizam as terras da região. Desde os primeiros registos, há uma forte exploração da agricultura local, nomeadamente no que toca ao milho e à vinha. Face ao desenvolvimento que se verificou na actividade agrícola, começaram a surgir algumas associações, nomeadamente as JAC (Jovens Agricultoras Católicas), que tinham por hábito juntar-se perto da Ponte da Gaia, onde reuniam para fazer alguns convívios, para os quais levavam os produtos que cada qual cultivava.

A freguesia é também bastante rica a nível de pecuária, designadamente no que concerne à produção de gado bovino, sobretudo de raça arouquesa, que por sua vez gera a produção de leite. A avicultura atingiu igualmente grande expressão na localidade, através da instalação de pequenas empresas ligadas a essa actividade. Os primeiros encontros avícolas datam de 1976, onde os métodos de trabalho ainda eram bastante artesanais, mas o tempo foi passando, e enraizou-se o comércio avícola em Arcozelo das Maias.

Ainda no que se refere ao sector primário, é importante fazer menção à pesca. Desde que abriu a Barragem da Vessada do Salgueiro, têm-se realizado alguns concursos de pesca que atraem bastantes amantes deste desporto.

Durante largos anos, o sector primário deteve uma preponderância evidente no panorama da economia local. Contudo, com a abertura da zona industrial de Oliveira de Frades e com a evolução de Arcozelo das Maias ao mesmo nível, foram muitos os habitantes que desistiriam da agricultura de subsistência para se dedicarem ao trabalho nas fábricas. Poucos são agora os agricultores a tempo inteiro, pois o rendimento é mínimo e as despesas são muitas, mas felizmente muitos já não precisam de sair da freguesia para terem acesso ao seu local de trabalho. Tal facto é comprovado pelas indústrias já existentes na localidade. Apesar dos tempos de crise que afectam todas as sociedades, esta continua a ser uma freguesia com muitas empresas e com uma boa perspectiva de implantação de novas empresas, daí que se justifique a zona industrial que está a ser criada (ano de 2003). Todas as apostas são feitas com a esperança que o desenvolvimento económico continue e que todas as empresas se mantenham por muitos anos na freguesia.

As actividades terciárias, por sua vez, encontram representação, quer através do pequeno comércio, suficiente para assegurar as necessidades da população local, quer através dos serviços de utilidade pública, muitas vezes prestados na sede da Junta de Freguesia.

 

Acção social

No domínio da acção social, a localidade encontra-se ainda um pouco debilitada. Mas, porque este é um sector de enorme importância, a Junta de Freguesia iniciou um projecto, no ano de 2003, com a Santa Casa da Misericórdia de Oliveira de Frades e com o Centro de Dia de Ribeiradio, para que se torne possível uma assistência a idosos e famílias carenciadas no âmbito dos programas existentes a nível nacional. Este projecto irá abranger a assistência domiciliária, quer a nível de alimentação e enfermagem, bem como a nível de integração social dos idosos, ocupando os seus tempos livres e tentando minimizar as dificuldades de cada um.

A área da saúde apresenta-se como um dos grandes problemas e carências desta freguesia. Em 2003 ainda não possuía posto médico, embora a dimensão da freguesia o justificasse. O Centro de Saúde mais próximo era na sede concelhia. Os consultórios médicos, infelizmente, também se localizam em Oliveira de Frades, bem como os laboratórios de análises clínicas.

O campo escolar local é composto por seis escolas do primeiro ciclo do Ensino Básico e dois jardins-de-infância, que se encontram distribuídos pela freguesia de forma a evitar que as crianças façam grandes deslocações.

As escolas do primeiro ciclo de Ensino Básico pertencem ao Plano Centenário, tendo vindo a ser efectuados restauros e melhoramentos. Os jardins-de-infância funcionam em edifícios recentemente inaugurados, estando equipados com as condições necessárias, em Arcozelo das Maias. O jardim-de-infância de Vila Chã - Santa Cruz, além de funcionar num edifício recentemente construído, possui também um mini-polidesportivo e as instalações vedadas.

No ano lectivo de 2003/ 04 iniciou-se o processo do Agrupamento Vertical de Oliveira de Frades, ao qual estes jardins-de-infância e escolas do primeiro ciclo estão agrupados.